terça-feira, 1 de março de 2011

A importância das Redes Sociais na contextualização da globalização

* Artigo desenvolvido em sistema colaborativo pelos alunos da turma 2TI, do curso Técnico em Informática da QI ESCOLAS e FACULDADES - Disciplina: Internet - Profª: Cristina Jung
** Autores:
ALEXANDRE PAIANE LEMOS, BIANCA LOPES SOUZA, CARLOS JOSE SILVA BEHFELDT, CAROLINE BITTDINGHER GUIMARÂES, FRANCIELI SCARATTI, LETICIA PEIXOTO BORGES, MARCOS MULLER DE ANUNCIACAO JUNIOR, RAFAEL ZURAWSKI, ROBSON HENSEL DA SILVA e TEYLOR POLETTO
---------------------------------------------------------------------------------------------------

Analisar a importância da tecnologia na nossa vida, é sem sombra de dúvida, transitar os olhos pelas estruturas das redes sociais. Este recurso tecnológico já faz parte do cotidiano de jovens, adultos e até idosos, tornou-se uma extensão de nossas vidas e, o maio índice de adesão nas sociedades multiculturais e contemporânea. Em que meios caminhamos, por onde nossos olhos transitam? Qual a velocidade das informações e como as mesmas interferem em nossa vida cotidiana?

Neste artigo, vamos expor alguns dados referentes às redes sociais, bem como retratar com uma breve análise da contextualização do mundo digital na atualidade, sendo que o mesmo é um verdadeiro ponto de encontro virtual em um ciberespaço mutável e moldável de acordo com as tendências de uma sociedade.

“As redes sociais existem desde sempre na história humana, tendo em vista que os homens, por sua característica gregária, estabelecem relações entre si formando comunidades ou redes de relacionamentos presenciais. Hoje, por meio da internet,estamos transcrevendo nossas relações presenciais no mundo virtual de forma que aquilo que antes estava restrito a nossa memória agora está registrado e publicado.

As primeiras redes sociais virtuais surgiram há pouco mais de 10 anos, mais precisamente em 1997 com o lançamento do Sixdegrees. Este site foi o primeiro a possibilitar a criação de um perfil virtual combinado com o registro e publicação de contatos, o que viabilizou a navegação pelas redes sociais alheias. O pioneiro Sixdegrees apesar dos inúmeros usuários que angariou não conseguiu a sustentação financeira, o que resultou na interrupção do serviço três anos mais tarde.”(Frederico Sotero – http://www.scribd.com)



A força da Ciberdemocracia

Nas últimas semanas, convivemos com as constantes notícias sobre o levante egípcio contra o governo Mubarak. Um dos pontos-chave desta “revolução” de protestos foi a disseminação do uso consciente das Redes Sociais, como Twitter e Facebook, que permitiram a mobilização de um povo contra seu governo.

As mídias sociais, responsáveis pela integração e interação da humanidade pós-moderna estão cada vez mais ativas na vida do homem, provocando mudanças estruturais na sociedade tão fortes quanto as mudanças da própria revolução industrial. Essas mesmas mídias sociais, são um resultado palpável da própria revolução tecnológica que se iniciou na década de 70, responsáveis também pela mudança de comportamento de toda uma geração.

Para termos uma dimensão, o Facebook, em 2009 agregou mais de 200 milhões de novos perfis em sua rede e o seu tráfego na internet superou em novembro o tráfego do Google, segundo a consultoria Experian Hitwise, 8,93% dos acessos apontam para o Facebook e 7,19% para o Google.

O Twitter desmistifica a mídia tradicional nas eleições brasileiras fazendo emergir a ciberdemocracia tão veloz quanto as informações disponibilizadas na Internet. Wikileaks surge da necessidade de uma sociedade global em exigir a transparência de governos repressores e países que ignoram os direitos humanos, derrubando “verdades” que até então eram consideradas absolutas. Na perspectiva da ciberdemocracia, o principal efeito da Internet é o de contribuir para enfraquecer as ditaduras – que são sempre de essência mafiosa, quer elas se apresentem sob a luz do nacionalismo, xenofobia, militarismo, integrismo ou outro (Lemos e Lévy, 2010 p.97). Precisamos ter a consciência de que uma nova estrutura de sociedade mundial se reconstrói a cada dia, criando uma nova universalidade de estruturas sociais, culturais, governamentais e diversificadas.

“Se um governo resolve baixar uma resolução antiterrorismo, como argumenta para acessar as informações dos internautas nessas redes pode até descobrir as intenções de voto dessas pessoas!” (Tim Berners-Lee)

Para Tim Berners-Lee é perigoso que as empresas como Facebook centralizem tantas informações pessoais, para ele o ideal seria que as pessoas fossem descentralizadas, como a Diaspora[i] , ainda em versão alfa, que tem como bandeira total privacidade online.

Hoje em dia redes sociais como Facebook, Linkedin, Twitter, SlideShare e entre outras redes sociais, tem oferecido diversas ferramentas capazes de nos ajudar a nos organizar, manter-se atualizado com inúmeros assuntos de nosso interesse e ou até participar de campanhas, como a de um abaixo assinado, por exemplo.

O Facebook é a rede social sobre a qual mais se tem falado atualmente, pois este possui o maior número de usuários dentre as redes socias, contando segundo dados de 2009, com 1.191.373.339 views por mês. Mas, existem milhares de outras redes sociais, onde os usuários podem criar perfis e se desejar em algumas redes estes podem se comunicar com outras pessoas. Entretanto, em algumas redes sociais os usuários apenas podem exibir conteúdos e visualizar o que está sendo colocado por outras pessoas.

Algumas redes sociais são pouco acessadas, porém outras têm mihões ou até mesmo bilhões, como no caso do Facebook, de usuários espalhados pelo mundo afora. No ranking atual das dez redes sociais com mais visualizações por mês temos os sites Facebook, MySpace, Twitter, Flixster, Linkedin, Tagged, Classmates My Year Book, Live Jornal, e por último o Imeem.

O fato é que geralmente as pessoas criam contas em redes sociais de acordo com seus interesses. Por exemplo quem gosta de música pode utilizar o site MySpace (http://www.myspace.com/), ou no Brasil o Letras (http://www.letras.com.br/), quem gosta de visualizar e compartilhar fotos pode utilizar redes como Flickr (http://www.flickr.com/), Picasa (http://picasa.google.com.br/) ou WeheartIt (www.weheartit.com), quem gosta de filmes a rede social Flixster (http://www.flixster.com), a Movie Times (http://www.mrmovietimes.com/movies/Social-Network.html), ou no Brasil a Cinema em Cena (http://www.cinemaemcena.com.br), quem gosta de games os sites GamerDNA (http://www.gamerdna.com/), Raptr (http://raptr.com/), o Foursquare (http://foursquare.com/), dentre diversos outros exemplos de redes, bem como de interesses. Outros porém, ingressam em redes sociais onde podem obter informações sobre diversos assuntos, como por exemplo nas comunidades existentes em algumas delas.

E cada vez mais têm sido criadas redes sociais. Já existem até mesmo redes socias para crianças como no Brasil a Mundo do Síitio (http://www.mundodositio.com.br) e para animais de estimação, como por exemplo, a Pet's Universe (www.petuniverses.com). [ii]

Entretanto, as redes sociais também são usadas em outros casos. O comércio, agências de emprego e até os próprios RH’s das empresas tem usado as redes sociais como principal método de divulgação. Mas não é também só o comércio e as empresas que usam dessas redes sociais, assim como o público jovem e adulto, mas muitos deles não sabem usar corretamente essas ferramentas, acabam esquecendo de preservar as suas informações pessoais e isso geralmente acaba queimando com a sua imagem. A maioria das pessoas conectadas à internet utilizam-se dela para acessar redes sociais, e às vezes ocupam boa parte do tempo do seu dia com estas redes. As redes sociais, congregam 29 milhões de brasileiros todos mês, nada menos que oito em cada dez pessoas conectadas no Brasil, tem o seu perfil em algum site de relacionamento. Pesquisas dizem que 48% dos usuários entre 18 e 34 anos fazem login assim que acordam, 57% conversam mais com os amigos online do que pessoalmente, 72% da população mundial participa de alguma rede social e 50% dos usuários do Orkut afirmam ter usado menos a rede social em 2010. A consultoria especializada em mídias sociais CMetrics, realizou, entre novembro e dezembro de 2010, um estudo sobre o perfil de usuários de mídia social no Brasil. Para isso, consultou cerca de 2,4 mil internautas. Segundo o estudo, mais de 90% dos internautas brasileiros estão cadastrados em pelo menos uma rede social. Porém, somente 16% desses usuários produzem conteúdos. Entre eles, as mulheres de 18 a 24 anos são as que mais geram informações nas redes e também as que mais criticam e comentam dentro todos outros segmentos estudados.

Para algumas pessoas, principalmente os adolescentes, ficar muito tempo conectado acaba virando um vício incontrolável, que pode até prejudicar o seu convívio com a família dentro de casa, por exemplo. Para isso, é interessante que essas pessoas possam usar Twitter, Orkut e outros em uma janela limitada de tempo, assim elas garantem um tempo do seu dia para isso, e outro para dedicar a atividades diferentes ou a pessoas que possam estar presencialmente com elas.

E para diminuir mais ainda o tempo em que fica conectado, quem gosta de enviar mensagens e postar links em várias redes sociais, para os amigos, pode fazer isso de uma só vez utilizando os serviços do Ping. É compatível com Facebook, MySpace, GTalk, Delicious, LinkedIn e etc. Também é legal cadastrar a conta do Messenger, para tuitar direto do MSN.

Além do Ping tem o FriendFeed que junta todas as suas informações postadas em redes como Flickr, Twitter e Facebook. Este também pode lhe poupar muito tempo ao ler todos os posts feitos nas suas redes sociais.

Muitas empresas, de pequeno a grande porte usam essas ferramentas para divulgar sua empresa e seus produtos, usam a rede para falar com os consumidores e ganhar dinheiro. Os clientes utilizam para postar possíveis reclamações a estas empresas como o caso a seguir:

“O estudante Marcos Paulo Pagano de 15 anos, costuma reclamar de problemas frequentes com o Virtua, a banda larga que usa em casa, em São Paulo. No início de maio, extravasou a raiva com um post no Twitter: “Serviço para visualizar consumo de franquia de banda larga da NET não funciona. #fail #net #virtua”. Cinco dias depois, Pagano se surpreendeu ao encontrar em seu e-mail uma mensagem de um fucionário da equipe de relacionamento da NET, solicitando seus dados de cliente para resolver a questão. Como o cadastro do Virtua foi feito por seu pai, a empresa não o encontrou. “Nunca imaginei que eles procurariam algum contato meu para tentar justificar o problema”, diz. Depois do atendimento, voltou a postar no Twitter: “Gostei da NET entrar em contato comigo por busca em satisfação ao cliente. #virtua”. (Revista INFO, Junho 2009)

Pesquisa realizada pela Ibramerc revela que mais de 65% das empresas já utilizam as redes sociais como ferramenta de comunicação com clientes e prospects. As mais relevantes: Twitter (42%), Blog (21%), Facebook (11%), LinkedIn (8%), Orkut (9%), Youtube (8%), Flickr (2%), Ning (1%).
> Práticas Comuns:
46% utilizam as redes para monitorar o mercado.
45% usam para observar o comportamento dos clientes.
39% utilizam para ficar de olho na concorrência.


> Benefícios:
45% das empresas acreditam que o fortalecimento da marca é o maior benefício trazido pelas redes sociais.
44% das empresas acham que as redes ainda não trouxeram nenhum benefício.
6% das empresas acreditam que as redes sociais podem trazer fidelização dos clientes.


>Atualização e Monitoramento:
40% das empresas contam com os esforços de colaboradores da empresa.
25% alocam um funcionário exclusivamente para o exercício da atividade.
11% delas preferem tercerizar a função.[iii]

Mas não somente empresas, atualmente grupos, bandas musicais usam essas redes sociais para divulgar seus vídeos, músicas e fotos, usam o Orkut, Facebook, entre outros para divulgar quando irão realizar algum show. Como exemplo podemos citar o show da banda de rock U2 realizado no estádio de Rose Bowl nos Estados Unidos dia 25/10/2009, o show foi transmitido ao vivo através dos 7 continentes via YouTube. A primeira transmissão ao vivo na história de um concerto em estádio pela Internet, cerca de 96 mil pessoas assistiram o show no estádio e mais de 1 milhão de pessoas simultaneamente assistiram pelo YouTube. Sem contar que atualmente ate grandes desenvolvedores e produtores de video games do mercado tanto nacional e internacional usufruem do uso do Twitter e do Facebook como de tantas outras redes sociais como deviantart para divulgarem seus trabalhos tanto como portfolios de designer graficos como andamento da produção do game e também a interatividade quase impossivel alguns tempos atrás de fãs, jogadores com seus criadores.
Rádios fazem do Twitter uma ferramenta para sorteios, mandando tweets para seus seguidores e ouvintes retweetar para concorrer a prêmios e promoções entre outros.

Há também órgãos públicos que se utilizam do Twitter e de outras redes sociais para divulgar informações e notícia, e dessa forma a população (principalmente os jovens) pode manter-se informada em tempo real.

“Os twitters de órgãos públicos estão de olho nos jovens, maioria absoluta entre os usuários. Segundo o primeiro Censo do Twitter, encerrado em junho com a participação de 11.683 twitteiros, 67,74% deles têm entre 15 e 24 anos.” (MÁRCIO VOLKMANN - http://novablumenau.blogspot.com/2009/12/siga-os-orgaos-publicos-no-twitter.html)

O avanço dos blogs e das redes sociais, de acordo com o site WWW.certisign.com.br é um sinal de democratização dos meios de acesso à informação no país, embora isso dê apenas nas camadas sociais mais abastadas. Em contra partida, o risco de disseminação de informações falsas e distorcidas ainda tem um crescente número. Pesquisa mundial feita pela Sophos e divulgada recentemente mostra que 63% das empresas tem receio de que os serviços da WEB 2.0 tragam riscos de seguranças às redes corporativas. O estudo revela que 43% permitem o acesso ao Facebook, 50% ao Twitter, 49% ao Myspace e 52% ao Linkedin.

A interatividade é uma das palavras que melhor descreve os avanços na internet. O termo é conhecido por Web 2.0, uma era em que o usuário doméstico é o maior criador de conteúdos dentro da rede. Se antigamente a nossa participação estava limitada apenas em navegar pelos grandes portais, hoje somos nós quem construímos a maior parte do que existe na internet.

Os sites de redes sociais – Facebook, Orkut, MySpace, Twitter – inovam a cada dia, com funções que se adequam às necessidades dos novos usuários. O mundo virtual nesse ambiente é cada vez mais interligado, dinâmico e interativo.

E quanto aos jogos?

Quem nunca teve que alternar entre um game divertido e a navegação no Orkut em frente ao PC? Não se preocupe, pois nesse exato instante há milhares de pessoas sendo muito bem pagas para pensar em formas de facilitar a nossa vida - através de soluções simples para essas pequenas questões.

Com o passar do tempo, os pequenos games e aplicativos para redes sociais estão mais presentes e abrangem diversas categorias de interesse dos usuários. Na maioria das vezes casuais, os jogos servem como um ótimo passatempo para quem se comunica com os amigos por scraps e mensagens. No Orkut, já são mais de dois mil jogos disponíveis para os usuários brincarem enquanto navegam no site. O mesmo ocorre no Facebook, que em 2007 já contava com mais de dez mil aplicações.[iv]

Também só para constar o mercado de jogos casuais como os aplicativos das redes sociais como Facebook , Orkut entre outros atualmente esta crescendo de nível bastante elevado comparando ao mercado de jogos hardcore(consoles de mesa), isso devido como já foi mencionado antes um entretenimento rápido e divertido ao usuário já que hoje em dia grande parte dos jogadores acima dos 20 anos dispõem de pouco tempo disponível para sua forma de diversão, então maioria opta pelos jogos casuais, onde esse mercado só tem a crescer cada dia mais.[v] Com isso cada vez mais os consoles de mesa procuram no universo de jogos online seu trunfo para o futuro, tentando assim digamos que não perder mercado e tornando os consoles cada vez mais computadores, com acesso a redes mondais não só para games mas com outras ferramentas online. Um grande exemplo disso é a rede social própria da Sony e da Microsoft conhecidas como Playstation Network na qual abrange vários serviços online e ate mesmo um mundo virtual no estilo Second Life conhecido como Playstation Home onde é possível assistir transmissões ao vivo de shows, filmes e ate trailers de filmes em ambientes climatizados no mundo virtual o qual possui cinemas, shopping, parques e ate a própria casa do usuário. Pela Microsoft temos a Live um espaço virtual nos consoles Xbox 360 os quais permitem uma interação semelhante aos computadores de mesa e notebooks ainda mais com a ligação dos mesmos com os serviços hotmail entre outros da Microsoft.(http://www.xbox.com/en-US/live http://us.playstation.com/psn/) . Outro exemplo interessante de globalização que consequentemente nos arremata as redes sociais, são os animes japoneses. Um desenho que era pra ser passado somente no Japão e dependia de um certo sucesso por lá para ser comercializado para fora, acaba muitas vezes se tornando famoso no exterior através dos fansubers[vi] que disponibilizam gratuitamente na internet. Com isso o desenho acaba se tornando muito famoso no exterior, e grupos em redes socias se juntam não somente para compartilhar o gosto, mas também para se manifestar mundialmente, como por exemplo aconteceu com o desenho Katekyo Hitman Reborn que foi finalizado no Japão faltando alguns episódios, e através do facebook e outras redes socias foi feito um abaixo-assinado pedindo a volta do desenho.

Qual será o futuro?

A interação entre as redes sociais e os aplicativos que rodam diretamente do navegador já começou. Scraps, mensagens, jogos e aplicativos: um único lugar para todos brincarem juntos. Como também não é mais necessário possuir um computador de mesa para acessar tais conteúdos devido ao crescimento da portabilidade onde celulares, smartphones, tablets e agora ate mesmo videogames portáteis e consoles possuem uma interação e parceria com as redes sociais como facebook dando assim mais opções e liberdade dos usuários poderem interar nessa rede sem ter que se prender a uma única máquina de mesa. Em nossa sociedade o tempo é cada vez mais escasso, portanto aliar e dinamizar tarefas são caminhos que toda a internet deve seguir.

Curiosidades – Fonte: http://www.ideiasnoar.com.br/curiosidades-sobre-midias-sociais/

· Out 2007 - Microsoft compra 1,6% de participação no Facebook por US$ 240 milhões.

· O Facebook só tem rivais na sua frente no Brasil, na Coreia, na Holanda, no Japão e na Russia.

· Hoje em dia, cerca de 200 milhões de usuários entram no Facebook pelo celular.

· Em fevereiro, a Aardvark foi comprada pelo Google e em julho o Facebook lançou em modo teste sua ferramenta de ajuda chamada Questions

· Antes de se virar facebook.com era thefacebook.com, o “the” caiu em agosto de 2005.

· O facebook foi avaliado em US$ 50 bilhões de dólares, isto é 28x o valor do The New York Times.

· 1 a cada 13 pessoas do planeta acessa o facebook.

· O facebook recebe cerca de US$ 25 milhões de novas imagens por mês. (Bianca)

· O facebook e a sony fizeram uma parceria que tornou possível o desenvolvimento de um aplicativo para acessar o facebook a partir do seu próprio Playstation 3 e possíveis outros portáteis.

· Até o final de 2009, mais pessoas jogavam o aplicativo FarmVille na rede social Facebook do que acessam o Twitter no Brasil.

· Fev 2011 - O Facebook adicionou novas opções de estado de relacionamento para os usuários da rede social, que agora podem divulgar que estão em "uma união civil" e "morando junto". A novidade, de acordo com o Facebook, atende a pedidos da comunicada GLBT (gays, lésbicas, bissexuais e transsexuais) e está disponível, por enquanto nos Estados Unidos, Canadá, França, Austrália e Reino Unido. Fonte: (http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2011/02/facebook-adiciona-novas-opcoes-de-relacionamento-para-publico-gay.html)

· Presidente diz que Google ainda não vê Facebook como competidor. Fonte: (http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2011/02/presidente-diz-que-google-ainda-nao-ve-facebook-como-competidor.html)

· Se o Facebook fosse um país, seria o terceiro mais populoso do mundo com cerca 350 milhões de habitantes (dados de dezembro de 2009).

· No dia 4 de fevereiro de 2011, o Facebook completou sete anos de idade com a incrível marca de 600 milhões de usuários espalhado por todos os cantos do planeta Terra.

· O Brasil é o segundo país do mundo com maior número de blogs ativos são cerca de 60 milhões, está perdendo apenas para os Estados Unidos.Fonte: (http://www.certisign.com.br/certinews/sua-empresa-esta-pronta-para-o-sped/o-avanco-dos-blogs-e-das-redes-sociais-e-o-risco-das-informacoes-falsas-e-distorcidas)

· Até o momento o Twitter é avaliado em US$ 10 bilhões após negociações. (http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2011/02/twitter-e-avaliado-em-us-10-bi-apos-negociacoes-com-google-e-facebook.html)

· A ideia inicial do Twitter era ser uma espécie de secretária eletrônica virtual para os seus amigos saberem o que você está fazendo. Porém, os próprios usuários deram outro rumo o serviço, transformando-o em uma espécie de rede social.

· A maioria das pessoas que utiliza o Twitter costuma se interessar por temas ligados à tecnologia, cultura e entretenimento. Também se sabe que esse grupo de pessoas é composto, em maior número, por pessoas de maior poder aquisitivo.

Fonte: (http://portaltech20.blogspot.com/2010/11/curiosidades-sobre-redes-sociais.html)

· Existem cerca de 23 milhões de usuários brasileiros no Orkut.

· Para traduzir seu conteúdo para mais de 70 idiomas diferentes, o Facebook contou com a participação de cerca de 300 mil usuários.

· Mais da metade (51,09%) dos usuários do Orkut são brasileiros. Em segundo lugar fica a Índia, com pouco menos de 20%. Além disso, mais de 57% das pessoas que acessam o Orkut possuem entre 18 e 25 anos. (fonte: http://portaltech20.blogspot.com/2010/11/curiosidades-sobre-redes-sociais.html)

· LinkedIn é o mais velho das redes sociais citadas acima, criado em 05 de maio de 2003.

· Há mais de 70 milhões de usuários no mundo inteiro.

· Os membros do LinkedIn vêm de mais de 200 países de todos os continentes.

· LinkedIn está disponível em seis idiomas nativos – Inglês, Francês, Alemão, Italiano, Português e Espanhol.

· 80% das empresas utilizam o LinkedIn como uma ferramenta de recrutamento.

· Um novo membro se junta ao LinkedIn a cada segundo.

· LinkedIn recebe quase 12 milhões de visitantes únicos por dia. (Fonte: http://www.ideiasnoar.com.br/curiosidades-sobre-midias-sociais/)(Alexandre, 19/02/2011 - 17:50)

· O perfil com mais seguidores no Twitter é o da cantora Lady Gaga, que é seguida por 7.028.029 pessoas, seguida por Britney Spears, com 6.251.464 followers e Ashton Kutcher, com 5.998.437. O perfil oficial do microblog só aparece em 10° lugar, sendo seguido atualmente por 3.929.734 pessoas. Dados de 08/11/2010.

· O brasileiro com mais seguidores no twitter é o apresentador da Rede Globo Luciano Huck com 2.494.841 followers. Em seguida aparecem os futebolistas Kaká e Mano Menezes, com 2.286.902 e 1.707.779 followers, respectivamente. Dados de 08/11/2010.

· Atualmente, o jogo Farmville possui mais usuários que a atual febre do momento – o microblog Twitter. O Farmville conta com 69 milhões de jogadores na soma mensal e 26 milhões jogando a cada dia. (Fonte: http://portaltech20.blogspot.com/2010/11/curiosidades-sobre-redes-sociais.html) (Alexandre, 19/02/2011 - 17:57)

· YouTube recebe mais de 2 bilhões de espectadores por dia.

· O primeiro vídeo subido foi chamado de “Me aT Zoo”, em 23 de abril de 2005.

· Em junho de 2006, mais de 65 mil vídeos eram enviados todos os dias.

· YouTube recebe mais de 2 bilhões de espectadores por dia.

· A cada minuto, 24 horas de vídeo é subido no YouTube.

· As contas dos EUA são 70% dos usuários do YouTube.

· Mais da metade dos usuários do YouTube são menores de 20 anos.

· Você precisaria viver por cerca de 1.000 anos para ver todos os vídeos no YouTube atualmente.

· Vídeos de música representam 20% dos uploads.

· YouTube usa a mesma quantidade de banda que a Internet inteira utilizou em 2000.

· Pesquisa relaciona aumento de estresse a número de amigos no Facebook. Um grupo de pesquisadores da Universidade Edinburgh Napier, da Inglaterra, elaborou uma pesquisa sobre a pressão que as redes sociais exercem na vida de pessoas comuns. Para chegar a essa conclusão, o levantamento consultou quase 200 estudantes usuários do Facebook. O estudo revelou que os 12% dos entrevistados que admitiram que as redes sociais contribuem para que eles fiquem mais estressados tinham uma média maior de amigos virtuais (117), do que os demais entrevistados (75).(fonte: http://olhardigital.uol.com.br/jovem/redes_sociais/noticias/facebook_pode_causar_stress_nos_usuarios_mais_populares) (Caroline Guimarães)

· 27% dos americanos acessam Facebook no banheiro! O número é de um relatório elaborado pela AIS Media, empresa de marketing especializada em mídias sociais. No total, 500 pessoas participaram da pesquisa. Das 285 pessoas que confirmaram acessar o Facebook no troninho, 54,4% são delas mulheres. De acordo com o CEO da AIS, Thomar Harpointner, o resultado demonstra a necessidade das pessoas se manterem conectadas a todo momento. Ele também disse que o estudo também será importante para as marcas atingirem um público-alvo especifico. (fonte: http://info.abril.com.br/noticias/blogs/omg/2011/01/27/27-dos-americanos-acessam-facebook-no-banheiro/) (Caroline Guimarães)

Com tudo isso que vimos até agora, já podemos dizer que as redes sociais vieram com força e para ficar.

Resta agora para nós pessoas que a utilizam pensar e refletir, como será daqui 5 anos? 10 ou 20 anos? As redes sócias são o futuro da internet? Como será então daqui pra frente?

Hoje em dia é normal uma pessoa seguir várias redes sociais, com tantas opções que temos as vezes fica difícil decidir qual aquela que gostamos mais.

As pessoas já estão de “saco cheio” de criar novas contas em mil e uma redes sociais, quanto mais redes surgem mais a informação fica dispersa e difícil de ser absorvida pelos usuários.

Mas se nós pensarmos para “frente” poderia imaginar uma única rede social abrangendo a todos. Estamos muito perto da “terceira onda” das redes sociais.

A primeira foi a explosão das redes sociais, a descoberta da sua utilidade e o nascimento dos grandes representantes “locais” (Facebook e MySpace nos EUA, Orkut no Brasil e Índia, Beebo em alguns países europeus, etc).

A segunda onda foi o nascimento de redes “nichadas”. Redes sociais para networking profissional (ex: LinkedIn), para fãs de futebol (ex: Joga.com), para fotógrafos (ex: Flickr), viciados em música (ex: iLike e Last.FM) etc…

A terceira onda está se formando. Ela será caracterizada, não pelo surgimento de novas redes sociais construídas do zero – individuais, ilhadas, isoladas no seu próprio nicho – mas pela criação de “acessórios” para as grandes redes sociais já existentes.

Com a abertura dos grandes players (Facebook já fez… MySpace e Orkut já disseram que seguirão a tendência) eu acho que não fará mais sentido você tentar construir uma rede social do zero. Não querendo desconciderar a importância dos nichos, eles sempre existirão, mas agora eles existirão DENTRO das redes sociais já estabelecidas.

Com a abertura do código destas redes ficará mais fácil desenvolver aplicativos que permitam, a uma única rede social, oferecer diversas utilidades para os seus usuários. Elas também têm oferecido, cada vez mais, a possibilidade do usuário limitar as informações visíveis para determinados tipos de usuários (quero que empresas vejam meu currículo mas que não vejam minhas fotos, por exemplo). O Facebook pode, então, ser a minha rede social, que me oferece contatos profissionais, contatos para xavecos e para ferramentas para reunir meus amigos de boteco.

Isso tem ficado bastante claro conforme surgem aplicativos que possuem mais usuários dentro do Facebook do que fora, com a sua própria rede social (ex: iLike).(fonte:http://planoa.wordpress.com/)

Outra rede social que pode ajudar na busca por um futuro profissional mais promissor é o Livemocha, ainda não muito utilizado pelos brasileiros. O Livemocha é uma rede social internacional onde os usuários podem aprender línguas através de lições audiovisuais, além de dicas e comentários enviados por outros usuários. Lá você pode escolher um idioma que tem interesse em aprender, inclusive mais de um por vez e através de lições propostas pelo site você acaba tendo noções básicas de outros idiomas. Os exercícios são corrigidos pelos próprios usuários dos países que falam a língua que você escolheu para aprender. O perfil no site é muito parecido com o do orkut por exemplo, mas o conteúdo se torna mais interessante para quem esta afim de aprofundar seus conhecimentos em outros idiomas.

Temos outra rede social que é a SlideShare ela é uma linha de slides de serviço de hospedagem. Os usuários podem fazer upload de arquivos nos seguintes formatos: PowerPoint, PDF, Keynote ou OpenOffice apresentações. Lançada em 04 de outubro de 2006, o site é considerado semelhante ao YouTube, mas para slideshows. O site foi originalmente concebido para ser usado por empresas para compartilhar slides entre os empregados com mais facilidade, mas desde então tem expandido para tornar-se anfitrião de um grande número de lâminas que são enviados apenas para entreter. O site recebe cerca de 12 milhões de visitantes por mês. Fonte: (http://en.wikipedia.org/wiki/SlideShare)

Outra rede que está em franco crescimento e que possui um escopo ótimo para expor trabalhos baseados em designers gráficos, fundada em 2007, porém não muito divulgada entre os brasileiros, o Tumblr onde a maior interação entre os usuários é através de posts de imagens de seus artistas favoritos como também musicas, citações entre outros mas visando um lado profissional. É ótimo para enquetes de desenvolvimento de layouts, interfaces entre outros onde todos podem visualizar e comentar o que acham do seu trabalho, uma opção muito curiosa também do Tumblr é a possibilidade do usuário personalizar sua página de visualização na rede editando desde um simples plano de fundo até mesmo aos mais avançados desenvolvedores de sites com implementações de interfaces que veem de fundos ate mesmos em códigos html, botões entre outros. Fonte:pt.wikipedia.org/wiki/Tumblr.

Para quem gosta de jogos, também tem a rede Playfire. “Feita por gamers, para gamers”. O slogan na página inicial do Playfire deixa claro que aquele é um território bem específico – privado aos amantes dos games. Muito parecido com o Facebook e o Orkut, a rede social chama atenção pela organização. Para quem quer participar, é só fazer um cadastro e criar um perfil. Feito isso, a navegação é simples e a rede permite que o gamer crie listas, participe de quiz e converse com seus amigos (sobre games, é claro!). Diferente de um portal de games comum, no Playfire a interação é enorme. O gamer pode adicionar jogos a suas listas, que inicialmente são as ‘wish list’, onde ficam os links que ele deseja jogar. Na lista MyGames você diz quais jogos tem e curte, quais já terminou e quais detestou jogar. É possível também criar listas personalizadas, organizada da maneira que o gamer achar melhor. A rede também permite que se crie salas de bate-papo, onde você pode adicionar seus amigos e criar fóruns de discussão, grupos e comunidades. De todas as possibilidades, as que mais chamam atenção é poder convidar um amigo pra jogar online e também a seção de quiz, onde você participa de um jogo de perguntas e respostas sobre os jogos que estão no seu MyGames e assim vai ganhando experiência, o que aumenta seu level, como num RPG. Vale a pena fazer o cadastro, ainda mais se o seu objetivo é trocar dicas e informações sobre os games que mais gosta. Fonte: (http://virgula.uol.com.br/ver/noticia/games/2009/07/24/213168-playfire-a-rede-social-dos-gamers)

Para que possamos finalizar, em termos de música, dentre as várias redes sociais existentes, temos a Last.fm (http://www.lastfm.com.br/), que permite que você mantenha um registro do que ouve em qualquer player e com base no seu gosto musical lhe recomenda músicas e shows, através de seu serviço de Scrobbling. "Scrobbling" significa que quando você ouve uma música, o nome da música e do artista são enviados para a Last.fm e adicionados ao seu perfil musical. Assim que o registro e download do software da Last.fm são feitos, o scrobbling das músicas pode ser feito no seu computador ou iPod. As músicas que estão sendo ouvidas também aparecem no seu perfil para que outras pessoas vejam o que você está ouvindo. Lá você também pode baixar gratuitamente músicas em MP3s; a Last.fm possui o maior catálogo musical disponível on-line. Você pode ouvir estações de rádio personalizadas com base em um artista, tag — ou até mesmo no gosto musical de seus amigos e se conectar com "vizinhos musicais" - pessoas que gostam das mesmas músicas que você. Nela o usuário também pode criar grupos, eventos e criar e visualizar páginas Wikis. Uma wiki é uma página com informações que podem ser editadas por qualquer pessoa ou, no caso da Last.fm, que pode ser editada por qualquer membro do site Last.fm. A Last.fm também corrige automaticamente erros de ortografia comuns em nomes de artistas e faixas. A Last.fm foi testada nos navegadores Firefox 3, Safari 3 e Internet Explorer 7 e portanto, recomenda o uso desses navegadores, mas você pode utilizar o navegador de sua preferência, pois isso significa apenas que não foram testados todos os seus recursos nos demais navegadores existentes. As principais vantagens desta rede social é que inscrever-se e criar um perfil de usuário na Last.fm é grátis, assim como o uso da maioria dos recursos, com exceção da rádio, que é um recurso exclusivo para assinantes na maior parte dos países e que ela, mas o usuário também pode optar pelo serviço de assinaturas onde terá algumas vantagens, como por exemplo, a ausência de propagandas e que o software da Last.fm é compatível com todos os iPods, inclusive o iPhone e iPhone Touch, só não é possível fazer o iPod scrobbling com o sistema operacional Linux. (Fonte: http://www.lastfm.com.br/)



[i] Diaspora permite que você organize seus contatos em grupos chamados aspectos. [...] aspectos garantem que suas fotos, histórias e piadas sejam compartilhadas apenas com quem você deseja. Na Diaspora você controla como suas coisas são distribuídas, portanto você não perde a propriedade do que compartilha. Diaspora torna o ato de compartilhar com privacidade simples e fácil. Inerentemente privada, Diaspora não possui páginas de configurações e opções para percorrer a fim de manter seu perfil seguro e do jeito que você gostaria. (http://www.joindiaspora.com/)

[ii] Fonte dos dados:http://lista10.org/tech-web/as-10-maiores-redes-sociais-do-mundo/

[iv] WWW.wikipedia.org

[vi] Fansub é uma palavra de origem inglesa, formada da contração de fan (fã) com subtitled (legendado), ou seja, legendado por fãs. Indica um grupo de fãs que colocam legendas em filmes ou série de TV de outra língua, sem autorizações dos criadores das obras, por conseguinte de maneira ilegal, fazendo com que os tradutores profissionais percam seus trabalhos, prejudicando-lhes de diversas formas. Eles agem geralmente quando as obras não foram lançadas oficialmente no país. Mas há casos em que o fansub é uma concorrência direta e ilegal com as ofertas comerciais normais quando a obra é distribuída oficialmente em outros países que o país de origem. Hoje a palavra é de uso amplo também em português, especialmente entre fãs de anime. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Fansuber

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário